Feeds:
Artigos
Comentários

Crisma

DSC00842

Sábado, 14 de Novembro, nossa paróquia Santa Isabel, celebrou o sacramento do Crisma de mais de 100 Jovens e Adultos.

A Missa iniciou ás 16;00hs e foi presidida pelo Reverendíssimo Bispo, Dom Frei João Bosco, com auxilio do Padre Henrique (Pároco de Sta Isabel) e Padre Marcelo (Vigário Paroquial).

A Igreja estava lotada e o Padre Henrique saudou com alegria a todos em especial os Crismando.

O Bispo Dom João Bosco, em sua homilia foi sábio nas palavras,mas duro para nos fazer refletir na nossa entrega a vida Cristã, reforçou da nossa entrega consciente e chegou a comparar de forma isolada os jovens do oriente que morreram pela sua fé e nos deixou a reflexão até onde estaríamos dispostos a morrer por Cristo.

Por Natasha Hatanaka

Foto de Leandro Tanuri

Festa da Padroeira

received_892276147546954

Missa festiva do dia de Santa Isabel

Na última Quinta Feira , 5 de novembro foi dia de celebração de Santa Isabel e nossa comunidade que recebe o nome da santa festejou com a missa solene presidida pelo reverendíssimo Bispo Dom João Bosco.
A festividade iniciou as 19:30 h com a procissão com a imagem de Santa Isabel e logo em seguida uma linda e emocionante queima de fogos e missa.
O Bispo Dom João Bosco foi amável em sua homilia e nos remeteu a passagem de Isabel que foi abençoada com o dom de ser mãe e da visita de sua prima Maria.
“E aconteceu que, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou em seu ventre e Isabel ficou cheia do espírito santo, e exclamou em alta voz: Bendita sois voz entre as mulheres e bendito e o fruto do vosso ventre.” (Lc 1, 41-42)
Bispo Dom João Bosco nos levou a refletir na homilia e também no apelo constante do Santo Papa Francisco, a proximidade. Devemos viver a proximidade no amor ao próximo, assim como Isabel viveu com Maria.

Por Natasha Hatanaka

hqdefault

O amor começa em casa, e não se trata do quanto nós fazemos, mas  quanto amor colocamos naquilo que fazemos. 

Todos presenciamos a crueldade e a falta de ética em que alguns atores globais se utilizaram para afetar nossos princípios religiosos, até mesmo levantando heresias com dogmas de Fé da Virgem Maria.

Madre Tereza de Calcutá afirma que, o grande destruidor da Paz hoje é o Aborto, porque é uma guerra contra a criança, uma matança direta de crianças inocentes, assassinadas pela própria mãe. E se nós aceitamos que uma mãe pode matar até mesmo seu próprio Filho, como é que nós podemos dizer as outras pessoas para não se matarem? Por isso que o maior destruidor do amor e da paz é o aborto.

Sendo assim, os Católicos não podem se calar em meio a tanta crueldade apresentada nesses últimos dias nesse vídeo dos atores da emissora Globo. Por isso, a Pascom e a JV Frater de Nossa paróquia estamos com a Campanha digo sim a vida, aonde, algumas mães irão depor o quanto amar o filho é importante. Em breve esse Vídeo estará nos canais de comunicação de nossa Paróquia e no nosso Blog estaremos postando aqui alguns desses depoimentos. Não podemos nos calar…

Mas o que Deus diz para nós? Ele diz: Mesmo se a mãe se esquecer de seu filho. Eu Jamais te esquecerei. Eu Gravei seu nome na palma de minha mão. (Is 49). Nós estamos gravados na palma da mão de Deus; aquela Criança que ainda não nasceu está gravada na mão de Deus a amar e ser amada, não somente nessa vida, mas para sempre. Deus jamais se esquece de nós.

Afinal, a Forma de planejar uma Família é o Planejamento Familiar natural, não a contracepção. 

PASCOMe JV Frater – Paróquia Santa Isabel, juntos nessa causa.

#DigoSimaVida

 Texto: Seminarista Matheus Godoy

sinodo_especial

Foto do blog da Comunidade Shalom

Com a autorização do Papa, foi publicado na noite de sábado (24/10) o Relatório Final do XIV Sínodo ordinário sobre a Família. Composto de 94 parágrafos, votados singularmente, o documento foi aprovado por maioria de 2/3, ou seja, sempre com o mínimo de 177 votos. Os padres sinodais presentes eram 265.

Segundo Padre Lombardi, Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, apenas dois parágrafos obtiveram a maioria com margem limitada e são os que se referem a situações difíceis, como a abordagem pastoral às famílias feridas ou em situação irregular do ponto de vista canônico e disciplinar: convivências, casamentos civis, divorciados recasados e o caminho para se aproximar pastoralmente destes fiéis.

Indissolubilidade matrimonial

O Relatório define a doutrina da indissolubilidade do matrimônio sacramental como uma verdade fundada em Cristo mas ressalva que verdade e misericórdia convergem em Cristo e, portanto, convida ao acolhimento das famílias feridas. Os padres sinodais reiteram que os divorciados recasados não são excomungados e reafirmam que os pastores devem usar o discernimento para analisar as situações familiares mais complexas. O ponto 84 explica que a participação nas comunidades dos casais em segunda união pode se expressar em diferentes serviços: “Deve-se discernir quais formas de exclusão atualmente praticadas nos âmbitos litúrgico, pastoral, educativo e institucional podem ser superadas”.

Discernimento 

À situação específica dos casais em segunda união, o ponto 86 do documento faz referência a um percurso de acompanhamento e de discernimento espiritual com um sacerdote, pois a ninguém pode ser negada a misericórdia de Deus. Neste sentido, “para favorecer e aumentar a participação destes fiéis na vida da Igreja, devem ser asseguradas as condições de humildade, discrição, amor à Igreja e a seu ensinamento, na busca sincera da vontade de Deus e no desejo de dar uma resposta a ela”.

Em relação ao crescente fenômeno dos casais que convivem antes de se casar ou depois de um matrimônio sacramental, é uma situação que deve ser enfrentada de maneira construtiva e vista como uma oportunidade de conversão para a plenitude do matrimônio e da família, à luz do Evangelho.

Pessoas homossexuais e uniões homossexuais 

Pessoas homossexuais não podem ser discriminadas, mas a Igreja é contrária às uniões entre pessoas do mesmo sexo. O Sínodo julga também inaceitável que as Igrejas locais sofram pressões neste campo e que organismos internacionais condicionem ajudas financeiras aos países pobres à introdução do “casamento” entre pessoas do mesmo sexo.

Alguns parágrafos abrangem questões dedicadas aos migrantes, refugiados e perseguidos cujas famílias são desagregadas e podem ser vítimas do tráfico de pessoas. Os bispos invocam o acolhimento ressaltando os seus direitos e deveres nos países que os hospedam.

Valorizar a mulher, tutelar crianças e idosos

Os padres sinodais condenaram a discriminação contra mulheres em todo o mundo, incluindo a penalização da maternidade. Em relação à violência, ressaltam que “a exploração das mulheres e a violência exercida sobre o seu corpo estão muitas vezes unidas ao aborto e à esterilização forçada”. Pede-se também uma maior valorização da responsabilidade feminina na Igreja, com intervenção nos processos de decisão, participação no governo de algumas instituições e envolvimento na formação do clero.

A respeito da reciprocidade e na responsabilidade comum dos cônjuges na vida familiar, afirma-se que “o crescente compromisso profissional das mulheres fora de casa não encontrou uma adequada compensação num maior empenho dos homens no ambiente doméstico”.

Sobre as crianças, o documento entregue ao Papa ressalta a beleza da adoção e do acolhimento temporário, que “reconstroem relações familiares rompidas” e menciona também os viúvos, os portadores de deficiência, os idosos e os avós, que permitem a transmissão da fé nas famílias e devem ser protegidos da cultura do descarte. Também as pessoas não casadas são lembradas por seu engajamento na Igreja e na sociedade.

Fanatismo, individualismo, pobreza, precariedade no trabalho

Como sombras dos tempos atuais, o Sínodo cita o fanatismo político-religioso hostil ao cristianismo, o crescente individualismo, a ideologia ‘gender’, os conflitos, perseguições, a pobreza, a precariedade no trabalho, a corrupção, os problemas econômicos que excluem famílias da educação e da cultura, a globalização da indiferença, a pornografia e a queda da natalidade.

Preparação ao matrimônio

O documento final reúne as propostas para reforçar a preparação ao matrimônio, principalmente dos jovens que hoje têm receio de se vincular. É recomendada uma formação adequada à afetividade, seguindo as virtudes da castidade e do dom de si. Outra relação mencionada no texto é entre a vocação à família e a vocação à vida consagrada. São também fundamentais a educação à sexualidade e a corporeidade e a promoção da paternidade responsável.

Família, porto seguro

Enfim, o a Relatório sublinha a beleza da família, Igreja doméstica baseada no casamento entre homem e mulher, porto seguro dos sentimentos mais profundos, único ponto de conexão numa época fragmentada, parte integrante da ecologia humana. Deve ser protegida, apoiada e encorajada.

Pedido ao Papa um documento sobre a família 

O documento se encerra com o pedido dos Padres Sinodais ao Papa de um documento sobre a família, indicando a perspectiva que ele deseja dar neste caminho.

Fonte: Rádio Vaticana

Print

A Semana de Fé e Compromisso Social acontece de 27 a 29 de outubro de 2015 com o tema “Igreja e Sociedade – a dimensão social da evangelização”.

Durante os dias do evento haverá palestras voltadas para a reflexão do papel da Igreja e do leigo no âmbito social. A programação também traz apresentação de exemplos práticos por meio de ações sociais motivadas pela fé.

Confira a programação:

27/10/2015

Tema: A dimensão social da evangelização
Conferencista: Pe. Mauro Ferreira

Apresentação de Ações Sociais motivadas pela fé:
Associação Nossa Senhora do Carmo (ANOSCAR)
Lar Mãe da Providência Santa Maria Maior

28/10/2015

Tema: Doutrina Social da Igreja – Princípios concretos que podem iluminar a nossa ação
Conferencista: Rogério Soares

Apresentação de Ações Sociais motivadas pela fé:
Cáritas Nossa Senhora da Escada
Obras Sociais Nossa Senhora Aparecida – Piratininga

29/10/2015

Tema: Direitos Humanos à luz da Encíclica “Laudato Si”
Conferencista: Pe. Antônio Carlos Ribeiro

Apresentação de Ações Sociais motivadas pela fé:
Instituto Ana Paula Moreno
Cáritas Paroquial São João Batista

A Semana Social acontece no Salão de Atos da Cúria na Rua da Saudade, 60 – Vila Osasco em Osasco, sempre às 19h30.

Fonte: Meire Elaine/ Pascom Diocesana

FotorCreated

Queridos Irmãos (as), Louvado Seja o Nome de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Com alegria nossa paróquia se reuniu nesse ultimo final de semana (18), Sexta, Sábado e Domingo, para o retiro de espiritualidade Paroquial na Casa de Espiritualidade do Sagrado Coração de Jesus em Ibiúna. Padre Roberto e nosso Seminarista Matheus Godoy, foram os assessores do retiro.

O tema central de nosso retiro fora o Sacerdócio de Jesus ligado ao meu sacerdócio. Como Jesus agia, pensava, falava, amava e como eu tenho agido,pensado, falado e amado.

Muitos pontos de nosso retiro tocaram profundamente os nossos paroquianos, momentos de cura interior, momentos de lembranças da história, pois como bem disse nosso Seminarista: “Temos uma história e ela não pode ser esquecida, por mais dolorosa que tenha sido”.

Ninguém dá aquilo que não possui, para amar tenho que me sentir também amado,dizia Padre Roberto. Não posso viver o sacerdócio de Cristo, dizia ele, sem conhecer esse sacerdócio profundamente, pois, tem muitos que dizem ser católicos e muitos que são até mesmo coordenadores de Pastorais, que não sabem viver autenticamente esse sacerdócio de Cristo.

Momentos fortes como as Palestras dirigidas por Padre Roberto, a Via Sacra relacionada com a minha história – dirigida por nosso Seminarista, os momentos de orações e a hora santa contemplativa – dirigida por nosso Seminarista e pelo Padre Roberto, tal como, as confissões atendidas por nosso Pároco (Padre Henrique) e nosso Vigário (Padre Marcelo), mexeram profundamente nos corações dos participantes e os deixaram maravilhados.

Agradecemos a todos que participaram, as Irmãs que nos acolheram e a todos os organizaram, Deus lhes Pague e os abençoe pela Intercessão de Santa Isabel.